Abraçando Patinhas!

Normalmente meus posts solidários vão ao ar nos sábados, e o Doe Ração já estava no forno quando foi lançada a campanha Abraçando Patinhas que encheu meu coração de amor ♥

Para quem não sabe, na minha casa em Curitiba, tenho 2 vira-latinhas adotados, o Tuatha e a Lila, que são cuidados com todo o carinho do mundo pela minha mãe. Inicialmente batizado como Tuatha de Dannan (sim, eu estava numa vibe bem celta há 13 anos atrás) o meu primeiro cãozinho estava abandonadinho em uma gaiola com uma plaquinha de doa-se em frente a um Petshop. Minha mãe havia sofrido um acidente doméstico e estávamos voltando do hospital onde ela havia acabado de tomar pontos e uma injeção anti-tetânica de doer. Olhamos aquela carinha tristonha de um cãozinho com poucos dias de vida e não resistimos.

Alguns anos depois, veio a Ártemis, que hoje só tem esse nome na carteirinha de vacinação mesmo, uma vez que minha mãe insistia em tanto em chamá-la de Lila, que o apelido ficou! A história dela é realmente uma superação.

Eu trabalhava numa fábrica que tinha um enorme campo aberto em volta e sempre apareciam pequenos cachorrinhos ou gatos de rua para buscar alimento ou um carinho qualquer. Nos acostumamos a guardar um pouquinho do almoço para eles e com isso eles sempre vinham nos visitar. Com o tempo, descobrimos que o diretor da fábrica simplesmente odiava animais e queria colocar veneno para matar todos. Nos unimos para adotar alguns e afastamos outros para evitar que o pior acontecesse.

Mas uma cadelinha, estava grávida e não saia de perto da fábrica de jeito nenhum. Os funcionários da logística fizeram uma casinha escondida atrás do campo da fábrica e nós começamos a levar comida para lá na tentativa de que ela não se aproximasse. Um belo dia ela desceu grávida no sentido da portaria e deu de frente com o imbecil (não consigo descrevê-lo com outro nome) do diretor da fábrica, que ao ver que ela estava grávida, deu um pontapé com toda força em sua barriga. Ficamos em choque. Como pode um ser humano fazer isso com um pobre animal que só queria carinho???

Captura de Tela 2014-10-12 às 08.41.35

Escondemos a Juana, como foi batizada justamente em protesto ao diretor babaca, e por incrível que pareça todos os filhotinhos nasceram lindos e saudáveis. Fizemos uma campanha de adoção e aos poucos cada um dos 7 cachorrinhos foram ganhando um lar, exceto pela menorzinha e quase subnutrida pretinha, que os meninos acreditaram que não sobreviveria.

Peguei uma caixa de papelão, coloquei a cadelinha e fui no veterinário. Realmente ela estava abaixo do peso esperado e estava muito fraquinha. Não tive dúvidas, ela seria minha nova cadelinha. E assim Artemis, agora Lila, entrou para a família há 10 anos atrás.

Durante este tempo, tivemos o período de adaptação – e eles aprontaram todas, como qualquer filhote – mudamos de casa e muitas histórias engraçadas para contar, mas o principal é que eles se tornaram parte da nossa família. Assim como não podemos devolver um filho que Deus nos dá, um cãozinho não é algo descartável: ele possui sentimentos e amor como você. Por isso a turma do abraçando patinhas está tentando fazer a conscientização sobre a guarda responsável, tenha em mente que, uma vez que esses anjinhos de quatro patas entrarem na sua vida, será para sempre (e você vai adorar isso)! ♥

“Esta blogagem coletiva faz parte do projeto Abraçando Patinhas, uma iniciativa do Rotaroots em parceria com a marca de ração Max – da fabricante Total Alimentos. Esta iniciativa reverterá na doação de 1 tonelada de ração para a ABEAC, ONG responsável pelo bem estar de cerca de 1100 cães. Saiba mais sobre o projeto no site do Abraçando Patinhas ou participando do grupo do Rotaroots no Facebook.”