Organizando as Finanças em 2013

Diz o ditado popular que “dinheiro não trás felicidade”. Mas o que o ditado não conta é que com dinheiro, você pode trazer felicidade pra muita gente e ainda viver muitos momentos felizes com sua família!
Uma vida financeira organizada e saudável, permite que você pare de adiar aquela reforma na casa dos seus pais, faça aquela viagem de final de ano especial, finalmente troque os armários velhos por uma cozinha planejada, compre um carro novo, ajude aquele amigo que está passando por um aperto…mas uma vida financeira desorganizada pode trazer muita dor de cabeça!
Por isso, pra te ajudar a começar o ano de 2013 organizando suas finanças, montei esse post com algumas lições importantes baseadas na minha experiência com finanças:

a) Unifique suas dívidas
Se 2012 foi um ano financeiramente ruim e você precisou fazer empréstimos, usar limite ou cheque especial, o montante de pequenos empréstimos confunde a cabeça na hora de pagar, dificulta as contas e triplica os juros. Se você é registrado CLT, verifique com o seu banco como fazer o Empréstimo Consignado Descontado em Folha, que tem os menores juros do mercado e como é descontado direto na sua folha de pagamento, não tem risco de esquecer de pagar.
Quando você pega o montante total da dívida em um lugar só, você pode quitar os pequenos empréstimos a vista, o que permite uma boa renegociação com o banco (já perdi a conta do número de vezes que renegociei empréstimos – dos outros – e a redução dos juros é bem grande!).

b) Compre à vista
Lembre-se que nos meses de novembro/dezembro/janeiro, sua renda costuma ser maior devido ao décimo terceiro, férias e participações de resultados. Contudo, sua renda mensal pode não comportar mais uma prestação e você pode acabar descobrindo isso da pior maneira…
Por isso, neste período efetue sempre compras à vista, que além de muitas vezes te darem margem para pechinchar e conseguir uma economia, ainda evita surpresas desagradáveis no futuro.

c) Não tem dinheiro sobrando? Evite liquidações!
Por mais tentador que seja ver aquele vestido lindo com um super desconto, eu sigo a seguinte linha de raciocínio: algo estar pela metade do preço não me faz ter dinheiro para comprá-lo. E se você quer ter suas finanças organizadas no próximo ano, isso tem que ser um mantra na sua vida!
Tudo bem que cada caso deve ser analisado: uma calça jeans pra usar na faculdade, um blazer preto pra usar no trabalho e/ou outras peças curingas quando se está realmente sem roupa precisando, podem ser aquisições que valham a pena. Mas antes faça as contas com calma para ver o impacto da nova compra no orçamento: normalmente vale mais comprar a calça depois da promoção pelo preço de tabela, do que ficar no vermelho e pagando juros intermináveis para o banco.

d) Tenha certeza de que você realmente quer (ou precisa de) algo, antes de comprá-lo
Sabe aquela compra magnífica que você fez por impulso e depois quando chegou em casa começou a repensar? Todo mundo já passou por isso. Mas se frequentemente o looping de comprar e se arrepender faz parte da sua vida, está na hora de eliminar este hábito tão destrutivo para suas finanças!
Aprendi uma técnica muito bacana em uma das palestras do consultor de finanças pessoais Gustavo Cerbasi: depois que você entrou na loja, experimentou, viu o preço e teve certeza de que iria comprar, agradeça ao vendedor e vá dar uma volta. Não leve de imediato para que você possa ter um tempinho para analisar se a compra realmente vale a pena. Essa técnica funciona super bem, porque como você entra na loja e se deixa levar pelo vendedor, você acaba experimentando a sensação da compra, mas sem efetivá-la! Sem contar que as vezes o vendedor se assusta com a idéia de perder a venda e acaba te oferecendo um preço mais camarada.
Sou sincera em dizer que já fiz isso muitas vezes (inclusive em compras online, que cheguei a por no carrinho e deixei para efetivar a compra no outro dia!) e funciona mesmo!!! Experimente e diga adeus as compras desnecessárias!

e) Registre e controle seus gastos
Se você não monitora seus gastos – por menores que sejam – fica muito mais difícil manter sua vida financeira organizada. Normalmente as pessoas registram os gastos maiores: aluguel, prestações diversas, faculdade…mas se esquece que de 30 em 30 reais, sua fatura pode facilmente passar dos 500 sem que você perceba. Um lanchinho aqui, um presente de aniversário ali, aquele livro que o professor pediu e os almoços fora com a galera do trampo podem acabar estourando sua fatura do cartão sem que você perceba! Tenha um caderninho (ou planilha excel) para detalhar seus gastos e acompanhar se as despesas estão de acordo com a sua receita.

f) Planeje e limite seus gastos
Se pequenos gastos descontrolados podem confundir a sua vida, não planejá-los e extrapolar seu salário pode te fazer cair no cheque especial e no famoso juros sobre juros. O grande erro de planejar-se apenas para o pagamento de contas grandes irá te derrubar aqui: aquele sorvete no parque, o barzinho com os amigos e o presente de aniversário da sogra vão estourar seu orçamento e o banco não terá o menor dó. Se você ganha mil, não pode gastar mil e duzendos. Simples assim.
Todos os nossos gastos devem ser planejados para que possamos monitorá-los, desde a prestação da casa até a manicure. Reserve também algum dinheiro para o seu lazer, porque ninguém é de ferro, e para pequenos imprevistos que podem ocorrer em casa ou com seu carro, por exemplo.
Calculou tudo e faltou dinheiro? Hora de sentar e refazer as contas para ver quais gastos você consegue reduzir!
Talvez o almocinho semanal na churrascaria tenha que se tornar quinzenal e as visitas ao shopping tenham que ser reduzidas. Mas este é o único jeito para se fechar o cálculo: ou se aumenta a receita (fazendo horas extras, freelas, vendendo Jequiti…) para cobrir as despesas, ou é preciso cortar gastos radicalmente.

g) Poupe para garantir um futuro tranquilo!
Normalmente as pessoas deixam para poupar o que sobrar do salário daquele mês…o problema é que nunca sobra! Com isso os anos vão passando e quando algum imprevisto surge ou a idade chega, nos arrependemos de não termos poupado. Me lembro que há uns 10 anos atrás tentaram assaltar minha casa em Curitiba e além de estourar toda a maçaneta e chave tetra, ainda quebraram os batentes laterais com pé de cabra e danificaram a porta. Graças a Deus eles não tiveram tempo de entrar e levar algo, mas a conta do marcineiro e do chaveiro me assustaram: o conserto custou exatamente R$383,00. Me lembro como se fosse agora, porque se hoje já é um belo montante, imagina há 10 anos atrás, pra uma menina de 20 anos sem nenhuma reserva? E lá fui eu para o cheque especial para consertar a porta que não poderia esperar.
O ideal é que poupemos para o nosso futuro e tenhamos uma reserva mensal para imprevistos, mas como Roma não foi construída em um só dia, você também pode dar um passo da cada vez…comece economizando um valor x por mês e em caso de imprevisto você também estará coberto.
A regra de ouro para conseguir poupar é: separe ANTES – no seu planejamento, planilha, caderninho – o valor que será poupado. Primeiro tire os cem reais da poupança futura – ou o valor que estiver de acordo com suas finanças – e depois com o valor que sobrar planeje seus gastos. A conta não fecha? Falta dinheiro? Se aperte um pouquinho cortando os supérfluos e siga forte com sua economia, pois quando você estiver mais velho, essa rendinha extra vai ser mais necessária do que nunca!

h) Não conseguiu poupar? Crie uma conta para pagar!
Você já tentou inúmeras vezes guardar dinheiro mas nunca consegue? A solução pode ser criar um boleto ou débito automático mensal!
Iniciar um plano de previdência privada com desconto em folha (ou débito automático), comprar um título de capitalização, entrar um consórcio…existem diversas maneiras que te ajudam a ter disciplina para guardar o dinheiro e o melhor: como muitas vezes se perde a rentabilidade ou se paga carência para movimentar o dinheiro, você acaba pensando duas vezes antes de sacar. Pode ser uma boa alternativa!

i) Escolha a melhor maneira de investir seu dinheiro
A cada dia surgem mais opções para quem quer investir suas economias, o que acaba confundindo a cabeça de todo mundo! Além da boa e velha poupança, você também pode fazer um plano de previdência privada, comprar títulos do tesouro, CDB, títulos de capitalização, ações da bolsa…uma infinidade de oportunidades que variam de acordo com o nível de risco e tempo de investimento.
A primeira dica que dou é a mesma que nossas avós já diziam: nunca coloque todos os ovos na mesma cesta. De fato você conseguirá rendimentos melhores com uma aplicação CDB maior, mas você fica menos sujeita ao banco quando você diversifica seus investimentos.
A segunda dica é: ao menos que seu gerente seja um amigo pessoal, não tome decisões apenas com a sugestão dele. Os gerentes de bancos precisam bater metas de venda de seguros, títulos de capitalizações, valor aplicado no rendimento x ou y…escute o que o banco tem para lhe oferecer e pesquise em outros lugares, converse com amigos e faça suas contas. Só assim você saberá qual é o melhor investimento para a sua grana.

j) Não se culpe por uma vida financeira descontrolada no passado, bola pra frente!
E a última dica que dou é: não se culpe e nem tente se justificar pelas frustrações que passaram. Você ainda é jovem e pode reorganizar sua vida para ter mais momentos de lazer e uma velhice tranquila. Errar todo mundo erra e o primeiro passo para o sucesso é reconhecer o erro e se perdoar por ele. Vamos começar um 2013 mais organizado e abonado juntas?

Gostaria de lembrar que não sou consultora financeira (e sim engenheira de produção) e que tudo que escrevi aqui foram lições aprendidas da minha vida pessoal. Mas espero que as dicas sejam úteis para vocês como tem sido para mim! Se você tem alguma dúvida – ou gostaria de sugerir algum post mais detalhando sobre algum destes temas especificamente – pode escrever nos comentários ou mandar e-mail para raissa.kahn@yahoo.com.br, será um prazer te ajudar a sair da pindaíba rumo a estabilidade financeira em 2013!

Economizando: compras de mercado online!

Preciso confessar: sempre gostei de fazer compras no supermercado.
Ver as novidades, cores, sabores…e sempre lembro – ou invento – algo que gostaria de experimentar para por no carrinho! E é assim que eu e o namorido gastávamos fortunas a cada 15 dias no supermercado.
Eu disse gastávamos, porque de 2 meses para cá, mudamos a nossa estratégia de compras e além de economizar estamos com mais tempo livre também!

Conversando com colegas no escritório, percebi que gastávamos demais para um casal sem filhos e que faz a principal refeição diariamente fora de casa. E decidimos otimizar as nossas compras.

A primeira ação – obrigatória para quem faz compras e quer economizar – foi fazer a bendita listinha que nossas avós já faziam. Antes de sairmos de casa verificamos tudo o que precisávamos ou iriamos precisar.
Fomos para o mercado com a tal listinha e acabamos pegando apenas 2 ou 3 itens fora dela (que concordamos que eram super necessários e havíamos apenas esquecido de anotá-los).

Mas na quinzena seguinte este número subiu para 4 o 5 itens e vi que só a listinha não estava ajudando esse casal gordinho aqui a economizar. A tentação das novidades era mais forte do que o desejo de economizar…foi quando decidimos tentar a compra online.

O site escolhido para testarmos foi o do Pão de Açúcar.
Que além de ser um mercado que compro desde pequena, é conhecido pela boa qualidade e um dos amigos do escritório já era cliente. Vamos combinar que com indicação fica mais fácil de confiarmos, né?
O site é super fácil de navegar e tem tudo, absolutamente TUDO que um mercado normal tem.
Mas cuidado: faça a tal listinha antes de começar a comprar, porque assim como o mercado físico, nas gondolas virtuais do Pão de Açúcar também moram diversas guloseimas…hehehehe

E é bem fácil de encontrar os produtos: eles ficam separados por seções e você também pode digitar o que deseja no campo de busca do site.

Outra coisa bacana de comprar online é que você pode pesquisar os preços de maneira muito mais rápida do que num mercado comum! Durante a visualização dos produtos, já aparecem os similares (com preços) e se você desejar saber o preço em outro mercado, é só abrir uma abinha de navegação no site concorrente e checar. Simples e prático!

Estávamos com medo de comprar frutas e legumes no site e os mesmos virem meio podrinhos…mas como era um teste, ecomendamos tomates, uvas e outras frutas e legumes sensíveis para testar o serviço. Tudo chegou PERFEITO! Posso dizer até que o Pão de Açúcar sabe escolher frutas bem melhor que eu! rs

Os itens de geladeira e freezer vem numa embalagem plástica especial para não molhar os outros, os itens embutidos vem organizadinhos em caixas de papelão, os itens de limpeza vem num saquinho específico e as frutas vem super ultra bem embaladas.

E o melhor de tudo? Não encaramos um super trânsito (que em SP é caótico sempre), nem filas imensas nos caixas e…gastamos METADE do que gastávamos normalmente no mercado!!!

E é com muita alegria que desde então, só fazemos as nossas compras de mercado pela internet e posso quebrar alguns tabus:

a) Fica mais caro comprar pela internet. MITO!!!
Você pode comprar pela internet os produtos das mesmas marcas que você compra no mercado da esquina pelo mesmo preço ou até mais em conta.

b) A taxa de entrega é muito cara. MITO!!!
No site do Pão de Açúcar as 3 primeiras compras tem entrega gratuita, as 2 seguintes tem 50% de desconto e a taxa chega no máximo a R$10,00.
Levando em consideração que você vai receber tudo embaladinho no conforto do seu lar, vale muito a pena.

c) Os itens de feira vem danificados. MITO!!!
Como eu já disse lá em cima…o Pão de Açúcar soube escolher melhor cebolas e tomates do que eu! rs

d) As embalagens vem amassadas. MITO!!!
Além de tudo vir muito bem embalado, o entregador do Pão de Açúcar pede para que você abra as caixas e verifique se veio algo danificado para que ele possa trocar para você.

e) Não é seguro fazer este tipo de compra pela internet. MITO!!!
Sites como o Pão de Açúcar, Sonda, Mercadorama, Big e outros estão rankeados no site da e-Bit como as melhores opções de compra online em matéria de segurança.

f) Mas eles não entregam na mesma hora. VERDADE!
Infelizmente a única desvantagem que vi na compra online é que não podemos receber tudo na mesma hora, é preciso programar a entrega. Mas nada que organização não compense e normalmente o prazo normal é de 48 horas. O bacana também é que você pode escolher o período do dia em que as compras serão entregues: manhã (das 6h às 12h), tarde (das 12h às 18h) ou noite (das 19h às 23h).

g) Não tem ofertas. MITO!!!
Assim como nos mercados convencionais, os virtuais também tem promoções, descontos e ofertas.

Querem algumas dicas de mercados que conheço e entregam em casa?

Em todo Brasil:
Compre Bem 
Extra
Pão de Açúcar

No eixo RJ-SP
Net Feira
Zona Sul

Curitiba
Mercadorama

Porto Alegre
WallMart/Nacional

E agora que você tem os sites e as dicas…larga aquela vida de Maria, de ficar carregando sacolinha, enfrentando fila, namorido enchendo, põe/tira do carro e se joga na compra online!
Economia na certa e mais tempo livre pra você 🙂

Beijo grande e bom final de semana!

O que é Crowdfunding e porque é tão legal :)

Já faz alguns meses que tento sentar um pouco para fazer um post sobre crowdfunding aqui no blog – pelo simples fato de que eu acho essa a melhor idéia da década – e hoje finalmente eu consegui organizar as idéia…

Esse post é dedicado às mulheres empreendedoras que fazem parte da minha vida: Raquel do Delícias da Rack, Vanessa Falcão do La Petite Cerise, Carmem do Cupcake Brasil, Flaviana da Dorcas Plus Size, Carla Manso da Best Size, Renata Poskus do Mulherão e Fashion Weekend Plus Size (o maior evento de moda Plus da América Latina!), Leilane Mayara da loja Super Tendência Plus Size, Kalli/Kelly/Andrea do I Believe, Deh Renck do Under Fashion, Tawana Oliveira do Cupcakes Minimi e tantas outras empreendedoras guerreiras que tive oportunidade de conhecer e que desejo todo o sucesso do mundo!

Boas idéias surgem todos os dias. Seja num almoço de família, num encontro de amigas ou numa mesa de bar. E muitas dessas boas idéias são viáveis, tem um mercado consumidor garantido e podem tornar-se um negócio muito lucrativo, porém normalmente falta aquele pequeno detalhe para impulsionar que a idéia se torne real: dinheiro.

E devido a falta de financiamento por parte de amigos e as taxas de juros altíssimas praticadas no mercado…muitas vezes a idéia genial e viável morre.
Mas graças a era digital e as redes sociais, muitos empreendedores estão encontrando maneiras alternativas para a captação de recursos e estão tornando viáveis seus projetos.

Ei, você aí, me empresta um dinheiro aí??? 

O termo vem do inglês e quer dizer algo como “financiamento público” ou “financiamento por multidões”. Essa onda começou nos Estados Unidos em 2009 com o lançamento da rede Kickstarter, que é hoje a maior do mundo, com arrecadação de aproximadamente 25 milhões de doletas e mais de 4 mil projetos financiados.

Um dos casos de sucesso, talvez mais famoso, do Kickstarter foi o do grupo de jovens malaios da grife Ultra. Eles precisavam de recursos para lançar a sua coleção de Outono/Inverno 2011 e lançaram seu projeto no Kickstarter.
O grande diferencial dessa grife é que seu projeto de confecção de roupas é totalmente sustentável e em tempos da busca da sustentabilidade por todos…o projeto não demorou nem 15 dias para arrecadar toda a verba necessária e lançar a coleção.
Mas não foi só recurso financeiro que essa turminha conseguiu no site, eles tiveram uma repercussão tão grande da coleção (batizada de Ultra10) que foram convidados até para desfilá-la na Semana da Moda de Paris!!!
Bacana não?

Ultra e sua coleção sustentável

E isso que é o legal do crowdfunding, você apresenta a sua idéia e seus projetos e tanto amigos como desconhecidos, podem investir e apoiar seu projeto. Com isso a sua marca/projeto/show ganha visibilidade e pessoas que acreditam que dará certo, assim como você.

O primeiro site no gênero aqui no Brasil foi o Vakinha, que como o nome já diz permite que o empreendedor possa fazer uma “vaquinha” para conseguir os recursos para o seu projeto.
Mas hoje o site possui vaquinhas de todos os tipos, desde para festas de formatura, viagens ou próteses de silicone. Cada um pede o que quer e ainda pode divulgar em todas as redes sociais.

E no início deste ano veio também o site Catarse, já mais voltado para projetos culturais, com vários projetos de peças de teatro, lançamento de livros, videoclipes, cinemas…muitíssimo bacana e já com vários projetos financiados com sucesso.
Um desses projetos de sucesso foi o Rabiscaria, que propõe a customização de diversos objetos (sejam eles quais forem) por artistas, designers e afins.

E o mais bacana do Cartarse é que, de acordo com o valor da sua doação. você além de comprar a idéia, compra também parte do produto se o negócio der certo. No caso da Rabiscaria, você poderia ganhar adesivos, copos de whisky customizados ou até uma arte personalizada na parede da sala da sua casa…já pensou?

E que tal trazer a sua banda preferida para um show bacana em sua cidade sem risco de prejuízo? Acho que o sonho de todos os produtores agora se tornou possível com a ajuda do Queremos!
No site Queremos, você pode comprar ingressos reembolsáveis do show, como se fossem cotas.
E empresas grandes também podem comprar cotas do show para ajudar!
Se o show não acontecer, você recebe o dinheiro de volta.
Se o show acontecer e lotar, você recebe seu dinheiro de volta.
Agora, se o show acontecer mas não atingir o valor estipulado, pelo menos você garantiu a realização do show que você tanto queria a um precinho bem acessível. Muito bacana, não?

Fora esses, já existem também muitos outros sites bacanas em português como o Fairplace que permite que a pessoa peça “empréstimos” a juros baixíssimos e depois devolva o dinheiro em suaves prestações, Movere, Motiva, Multidão, Senso Incomum, entre outros… 

Com tanta opção para financiamento de projetos, que tal tirar da gaveta aquela idéia genial, hein?
Boas idéias + financiamento podem trazer o tão sonhado sucesso!

Beijo grande!

50% do ano e 0% dos planos?

Como eu já disse aqui, sou fã de carteirinha do consultor financeiro e autor Gustavo Cerbasi.
E lendo alguns artigos no seu site www.maisdinheiro.com.br me deparei com esse e quis dividir com vocês. Afinal é uma excelente reflexão para o meio do ano 🙂

“Metade do ano já passou, o que nos convida a fazer reflexões sobre o que já fizemos e o que estamos por fazer. Em uma breve enquete que fiz entre meus seguidores na rede social Twitter, 90% afirmam que estão longe de cumprir ao menos metade de suas promessas de Ano Novo. Tirei da conta os que se disseram tranquilos pelo fato de não terem feito nenhuma promessa.
Perdemos o interesse por nossos sonhos? Ou será que nossa capacidade de criar está ruindo com a intensa erosão provocada por fatores externos, como a tributação excessiva, a inflação e as frequentes mudanças de regras?

Do ponto de vista financeiro, planejar realmente requer um grande esforço e muita boa vontade.
Da renda que você obteve até agora neste ano, 80% serviram para pagar tributos.
Se você se comporta como a média dos brasileiros, usará os outros 20% apenas para pagar os juros das dívidas mantidas ao longo da primeira metade do ano -sem amortizar nem um centavo.
Para suas finanças pessoais, na prática, o ano começa agora. O que quero dizer é que o dinheiro que você ganhará no restante do ano será sua verba para custear todos os gastos anuais da família, incluindo alimentação, saúde, transporte, moradia, lazer, segurança e educação.

Isso, se a inflação desses itens não for maior do que seu aumento de salário. E não se esqueça dos juros das dívidas mantidas no restante do ano. Só eles consumirão 20% dos ganhos que vêm pela frente.
Essas constatações não são nada inspiradoras para quem tem sonhos a realizar. Se você se surpreende com elas, é porque aprendeu a conviver tanto com o excesso de tributos e de dívidas como também com a hipocrisia de traçar planos sem comprometimento.
Uma pena, pois você deveria reagir, brigando contra os altos tributos e se educando para escolher melhor os serviços financeiros e pagar menos juros, além de se comprometer com seus planos.

Espero que o simbolismo representado pela metade do calendário que você já descartou o faça lembrar de que o ano ainda não está perdido, apesar de exigir esforço concentrado para terminar como você gostaria.
Pense nos fatores de estresse do final do ano e prometa-se que, neste ano, vai evitar a correria das compras, das metas a bater, do PGBL a contratar e das férias a providenciar.
Prometa-se que vai brindar o fim de ano sem repetir, pela enésima vez, a mesma promessa.
Aproveite que julho traz uma redução no ritmo dos negócios, devido às férias escolares, e intensifique sua dedicação ao planejamento pessoal.

É um bom momento para refletir sobre sua formação de poupança, a qualidade dos seus investimentos, as dívidas que você acumulou e as prioridades em seu orçamento. Se as contas estão desequilibradas, prometa-se um aperto de cinto por algumas semanas.
Proponha-se a acelerar a formação de poupança, cortando gastos, se ainda não cumpriu a meta do ano. Férias das crianças? Use a cabeça antes de usar o bolso. Quanto menos tempo você dedicar a planejar as férias, mais dinheiro gastará.
Quanto mais criativa for a programação, menos desembolsos afetarão seu orçamento.

Aproveite também que os mercados financeiros estiveram depreciados para encontrar oportunidades de investimento.
O mercado de ações apresenta verdadeiras pechinchas, ao mesmo tempo em que a boa remuneração dos títulos do Tesouro sugere adquirir papéis de prazo mais longo, para garantir por mais tempo o prêmio do desequilíbrio.
Está com boas reservas financeiras? A baixa do dólar e as vantagens da negociação antecipada indicam que o momento é bom para já fechar aquele pacote de fim de ano para o exterior, parcelando em reais com o câmbio de hoje.
Se quiser garantir boas compras na viagem, já comece a abastecer seu cartão de débito pré-pago.
Quem sabe, terminando o ano com as férias já quitadas, não fica mais fácil cumprir as promessas que serão feitas – ou refeitas – no próximo Réveillon?”

Publicado originalmente no jornal Folha de S.Paulo, em 04/07/2011. Artigo protegido por direitos autorais. Reprodução autorizada desde que citada a fonte www.maisdinheiro.com.br

Palestra Gratuita do Gustavo Cerbasi

Quem não conhece o consultor financeiro e escritor Gustavo Cerbasi?
Eu conheci seu trabalho há muuuuuuuuuitos anos atrás na revista Você S.A. e depois na Exame, em seus livros super bacanas e palestras. Fui em uma palestra sem pretenção nenhuma e fiquei perplexa por entender os erros que eu cometia na hora de montar o orçamento doméstico.Virei fã do cara!

O bacana do Gustavo Cerbasi, é que ele ensina como economizar para ter um futuro tranquilo, sem abrir mão do presente.
Ele ensina que viver sem momentos de lazer ou se privando de tudo não é positivo e ensina também quais são os maiores erros na hora de fazer o orçamento doméstico. Tem uma matéria muito bacana na Exame que ele explica porque não é legal viver na “síndrome de Tio Patinhas”. Para ler, clique aqui!
E o melhor de tudo: ele ainda dá dicas de onde aplicar o dinheiro que você poupou.

E nesta sexta-feira, dia 08 de julho, às 9h haverá uma palestra gratuita com ele no Pregão da Bovespa.
É necessário se inscrever para participar, quer se inscrever? Clique aqui!

Infelizmente não poderei ir, até porque sexta-feira no meio da manhã é impossível sair do escritório, mas se você se interessou e quer saber mais do Gustavo Cerbasi e seu trabalho, acesse o site http://www.maisdinheiro.com.br e depois me conte do seu progresso nas economias 🙂

Os primeiros Passos Rumo a Graduação

Você sentou, analisou, balanceou e finalmente descobriu seu objetivo de vida.
E agora, para alcançar o seu objetivo deverá se preparar bem antes de iniciar a jornada, porque afinal ninguém dorme plebeu acorda médico ou juiz.

Se o seu objetivo de vida envolve fazer uma faculdade (o meu envovia!) é muito importante antes de mais nada analisar todos os cursos disponíveis no mercado. A cada dia surgem cursos novos em graduação e que são mais e mais específicos, e para não perder tempo e nem dinheiro, é importante saber exatamente o que cursar.

Escolhendo o Curso

Ultimamente os jovens estão ingressando cada vez mais cedo na graduação e eu acho isso negativo, porque com 17 anos a maioria das pessoas não sabe o que quer, acaba fazendo um curso que não agrega (e não agrada) e sai recém formado com 21/22 anos infeliz e sem experiência na área. A única vantagem é que devido a pouca idade, a pessoa pode tentar novamente um curso mais de acordo com seus anseios.

Eu particularmente terminei o segundo grau (técnico) e trabalhei alguns anos antes de entrar em uma universidade, por isso já sabia exatamente o que fazer. E você, não faz idéia do que cursar?

Sugiro o Portal Guia do Estudante da editora abril (é o portal daquele livro que saia todos os anos nas bancas, lembram?) que explica e tira dúvidas sobre várias profissões ou no próprio site de várias universidades também tem não só a descrição da ementa como também áreas de atuação.
Em Curitiba eu sei que a PUC e a FAE organizam feiras anuais (entre setembro e novembro) com palestras sobre os mais diversos cursos com a participação de profissionais renomados na área. É bom para você trocar uma idéia com pessoas que já atravessaram a via crucis que você ainda nem começou! rsSobre ensino a distância: para cursos de graduação, sou completamente contra. Entendo que no mestrado é possível fazer uma matéria semi-presencial, pois você precisa pesquisar e fazer diversas análises. Agora, aprender sozinha e só ter aula via televisão 1 vez por semana? Me desculpem mas eu não considero isso nada proveitoso. Quem já fez faculdade sabe que aprendemos mais com a troca de aprendizado em sala de aula do que com a aula própriamente dita. O debate entre colegas, o envolvimento no tema, tudo isso faz parte e é necessário para uma boa formação acadêmica.

Escolhendo a Instituição

Infelizmente a cada ano abrem trocentas UniEsquina com cursos principalmente de Direito e Administração oferecendo mundos e fundos a preços módicos. Fuja delas!
Por mais que seja perto da sua casa e o preço seja acessível, consulte o Portal do MEC para ensino superior e verifique se a instituição de ensino que você busca é reconhecida e autorizada a ofertar este curso.

Vale a pena também ver a nota que este curso possui para não ter surpresas negativas no futuro.
Para quem pretente trabalhar fora: uma amiga minha que precisou ir trabalhar em outro país já me alertou que apenas com o carimbo da Universidade Federal do seu estado é que seu diploma tem validade lá fora.
Por isso, se você assim como eu não pode cursar uma universidade pública, escolha bem a instituição para não descobrir lá na frente que seu diploma não pode ser reconhecido!

Já escolhi o Curso e a Instituição, agora como Pagar?

Eu custumo brincar que hoje só não estuda quem não quer.
Nos dias de hoje, existem muitas faculdades e universidades por aí ofertando os mesmos cursos (lei da oferta e da procura, que faz os preços baixarem ou subirem!) e várias outras facilidades do governo que embora não sejam muito divulgadas, são super úteis e podem garantir a sua entrada na graduação.
Eu não vou detalhar muito, para que o post não fique gigante, mas eu mesma fui bolsista parcial do PRO UNI e tenho vários amigos que fizeram o FIES, por isso se vocês tiverem alguma dúvida, podem deixar comentário que eu respondo!

Vamos conhecê-las?

PRO UNI
O Programa Universidade para Todos foi criado em 2004 com a finalidade de conceder bolsas de estudo integrais e parciais nas Instituições de Ensino Particulares para alunos da rede pública (ou bolsistas de escolas particulares) cuja renda per capita familiar não exceda 3 salários mínimos (que correspondem hoje a R$1620,00). Por exemplo, se na sua casa moram 3 pessoas, a renda somada de vocês não pode ultrapassar R$4860,00.

Para quem tem a renda de até 1 salário per capita (R$540,00) é possível conseguir a bolsa integral, e para quem tem a renda até 3 salários per capita (R$1620,00) é possível conseguir a bolsa parcial de 50%.

Quer saber mais sobre o PRO UNI e como se inscrever para ele? Acesse o site do PRO UNI que tem todas as informações bem detalhadinhas lá!

FIES
Se você estudou em escola particular e/ou sua renda for superior aos 3 salários per capita, você não pode concorrer ao PRO UNI, porém pode se inscrever no FIES – Financiamento Estudantil.
O financiamento é concedido pela Caixa Econômica e cobre até 75% do valor do curso, podendo ser pago após o término da graduação em váááários anos.

Pena que não consigo um financiamento desses pra pagar minha pós na FGV que é uma fortuna!!! Tou querendo voltar agora em abril mas ainda não consegui patrocínio, auxílio ou financiamento para tal! rs

Quer saber mais sobre o FIES e como se inscrever para ele? Acesse o site do FIES que tem todas as informações bem detalhadinhas lá!

Já decidi o curso, a instituição e me matriculei…e agora?

Agora amiga, boa sorte e que Deus te acompanhe nesta nova empreitada.
Vale também conversar com a família e os amigos para que eles se preparem e compreendam os momentos de ausência. Fazer um curso de graduação não é moleza e além das noites de ausência, serão necessários eventualmente alguns sábados e domingos para fazer trabalhos, estudar para as provas, seminários e tantas outras coisas que a graduação lhe reserva.

Pode dar adeus aos rodízios de pizza, happy hours e tantas outras coisas durante a semana. É lógico que uma vez ou outra dá pra faltar e descansar, mas se posso dar um conselho: deixe suas faltas para quando realmente você estiver cansada e esgotada. Porque você vai precisar! rs

Espero que tenham gostado do post 🙂
Mil beijos!

Definindo Claramente o Seu Objetivo

Mara quer tirar férias em um lugar que tenha altas baladas e seja bom para compras.
Vanessinha quer ajudar na renda da família, mas quer trabalhar de casa.
Raissa adora desenvolver pessoas e sonha em trabalhar com algo no gênero.

Pois é, eu e minhas amigas um dia tivemos uma idéia do que queriamos. Sim, uma idéia e muito vaga diga-se de passagem, porque isso não passa nem perto de ser uma meta e/ou um objetivo.
Segundo o dicionário, meta é um objetivo almejado que pode ser mensurado e claramente definido. Logo dizer que quer ir viajar para “algum lugar que” ou “trabalhar com algo que” não é uma meta e sim um esboço dela.

Para você começar a planejar o caminho de onde você está até o seu objetivo, você precisa antes de mais nada definir qual é o seu objetivo. E como fazer isso?

Eu proponho que você tenha um momento sozinha com você mesmo, talvez até ouvindo uma música bacana, para refletir sobre o que você deseja e ir aos poucos “encorpando a idéia”. Pense todos os prós e os contras, calcule riscos (quando optamos por algo, sempre abrimos mão de outra coisa), pesquise mais sobre, use e abuse da internet (obrigada Senhor que não precisamos mais das Enciclopédias Barsa para sobreviver) e vá descobrindo o que se aproxima mais das suas expectativas.

Alguns exemplos?
“A Mara poderia ir pro Paraguai que seria um lugar excelente para compras, mas seria caído para balada.
Ela poderia ir novamente para Bariloche ou Buenos Aires que tem altas baladas, mas ela quer algo novo.
Ela poderia vir fazer boas compras em São Paulo, que também tem boas baladas, mas ela quer uma viagem internacional.
Poxa, Las Vegas é o paraíso das baladas e nem preciso dizer que EUA é o paraíso das compras né?
Decidido: vou pra Las Vegas nas próximas férias dentro de 1 ano.”

Uma vez que você decidiu o que pretende fazer, e em que prazo pretende alcançar a sua meta, é chegada a hora de começar a planejar: tempo de permanência, acomodação, como levantar dinheiro pra viagem, formas de pagamento, como se faz pra tirar visto…resumindo, só depois de definir o objetivo final é que você pode iniciar seu planejamento.

“Não existe coisa que eu mais goste na vida do que trabalhar com pessoas.
Adoro conversar, ensinar, orientar, explicar com calma aos que tem dificuldade…em resumo adoro desenvolver pessoas!
Eu poderia fazer algum treinamento de Coaching e migrar para essa área, mas não sou tão chegada a área de RH e sentiria falta da área técnica. Também acho que não quero entrar tanto na vida das pessoas, quero desenvolvê-las tecnicamente.
Eu poderia também trabalhar com auditorias e dando cursos. Desta maneira eu sempre conheceria pessoas e empresas novas e poderia distribuir o conhecimento adquirido. Mas meus 10 anos de carreira ainda são insuficientes pra essa função. Preciso de pelo menos mais 10.
Eu gostaria de dar aula em uma universidade. Pegar alunos recém chegados do segundo grau, ainda meio perdidos no mundo acadêmico e introduzí-los no mundo da indústria seria perfeito.
Decidido: vou começar a dar aula para cursos de graduação antes de ter filhos.”

E assim vamos montando os nossos objetivos.
Imaginando cada cenário e como seria se estivéssemos lá.
Mas muita calma nessa hora: o seu objetivo (pode) e deve mudar ao longo do planejamento se surgir algum percalço ou nova oportunidade. Só não deixe de sentar e refletir muito (mas muito) antes de começar a trilhar um novo caminho – lembre-se que para quem não sabe aonde ir, qualquer lugar serve!

Aproveite o final de semana ou a semana que se inicia e pense sobre seus objetivos:
Você sabe o que espera do futuro?
Você sabe aonde está e pra onde deseja ir?
Você conhece alguém que já atingiu este objetivo?

O meu objetivo do momento vocês já conheceram: dar aula para cursos de graduação.
E vocês? Quais são seus objetivos tangíveis e mensuráveis?

Beijo grande!

Planejamento

Eu sempre planejei todinha a minha vida.
Desde pequena queria ter feito química, sair de casa aos 18 anos, me casar com o trabalho e ser uma grande cientista. Consegui fazer o técnico em química, mas não a faculdade. Me casei com o trabalho dos 14 aos 28 anos. Sai do Rio de Janeiro aos 18 anos para estagiar a 800 km de casa, em Curitiba.

E em todos esses anos, nem tudo saiu exatamente do jeito que planejei. Mas foi muito próximo do esperado ou muito melhor.
E foi por isso que resolvi usar o blog daqui pra frente, não só pra assuntos como make, atualidades e coisas de casa, mas também para falar do que eu mais faço na vida: planejamento de carreira, planejamento financeiro, planejamento da economia doméstica, planejamento e mais planejamento.

Para atingir o sucesso (seja ele profissional, pessoal, espiritual) é preciso saber exatamente aonde se quer chegar e qual esforço você está disposto a fazer para isso. Fazendo uma analogia tosca (sim, eu sou campeã em fazer analogias toscas, mas criei e amei essa!), imagine que sua vida/carreira/casamento é uma bolinha de papel. Grande ou pequena, colorida ou sem cor. Se você não sabe aonde quer chegar, você é exatamente como uma bolinha de papel na palma de uma mão aberta.
Se ventar você voará pra longe e cairá só Deus sabe onde.
Se chover você vai se encharcar e ficar murcha.
E por fim, se nada acontecer, vc ficará paradinha na mão…enquanto o mundo passa por você!

Mas se você sabe exatamente para onde quer ir: fazer aquele curso, aquela viagem ou casar com aquela pessoa. Você mira em algum lugar. E a sua vida, ou melhor, a sua bolinha, segue o curso que você jogou.
Talvez ela não chegue de imediato no objetivo: pode ser necessário pegá-la no chão e mirar de novo.
Pode ser que ela chegue ao objetivo, mas não na velocidade que você queria.
Pode ser que ela não chegue ao objetivo, mas passe dele e chegue a um lugar muito mais legal.
E pode ser, que…enfim sucesso!!!

Na nossa vida, se queremos chegar a algum lugar, teremos que inúmeras vezes ver a nossa bolinha se espatifar no chão. Mas podemos escolher largá-la lá – e esperar até que alguém pise ou ainda chegue no objetivo por nós – ou nos abaixar, pegar com todo amor e carinho e arremessar de novo: rumo ao tão sonhado objetivo.

Por isso amigas, chega de se esconder atrás de preconceito, reclamação, comodismo e tantas outras muletas que usamos na nossa vida e só nos atrapalham…vamos rumo ao sucesso, porque merecemos!
O primeiro passo é saber para onde ir. E depois de ter a meta traçada, antes de começar a tão sonhada caminhada rumo ao sucesso é necessário planejar. Planejar que não faltará água no caminho, planejar para que quando a oportunidade aparecer você esteja pronta, planejar para realizar.

Imagine que seu sonho é ser gerente. Você sonha com isso desde pequena, logo, você sabe aonde quer chegar. Mas se você não se preocupou em cursar uma faculdade, aprender um novo idioma ou se especializar no metier da sua empresa, a oportunidade irá até bater a sua porta, mas você não conseguirá abrir por falta de chave: conhecimento!!!

Mas como estar preparada para quando a oportunidade chegar?
Como reconhecer a oportunidade? Como gerar a oportunidade?

Olha, eu ainda não sei gerar oportunidade (e tem gente que faz isso muito bem), mas se tem algo que eu sei, é: estar preparada! Por isso, convido vocês a embarcarem comigo nos próximos posts a saber como se planejar, como economizar, como fazer o dinheiro render, como se organizar, como fazer a tão sonhada faculdade….como dar um passo de cada vez rumo ao seu, seja qual ele for, tão sonhado objetivo.

Mil beijos!
                  RK