Organizando as Finanças em 2013

Diz o ditado popular que “dinheiro não trás felicidade”. Mas o que o ditado não conta é que com dinheiro, você pode trazer felicidade pra muita gente e ainda viver muitos momentos felizes com sua família!
Uma vida financeira organizada e saudável, permite que você pare de adiar aquela reforma na casa dos seus pais, faça aquela viagem de final de ano especial, finalmente troque os armários velhos por uma cozinha planejada, compre um carro novo, ajude aquele amigo que está passando por um aperto…mas uma vida financeira desorganizada pode trazer muita dor de cabeça!
Por isso, pra te ajudar a começar o ano de 2013 organizando suas finanças, montei esse post com algumas lições importantes baseadas na minha experiência com finanças:

a) Unifique suas dívidas
Se 2012 foi um ano financeiramente ruim e você precisou fazer empréstimos, usar limite ou cheque especial, o montante de pequenos empréstimos confunde a cabeça na hora de pagar, dificulta as contas e triplica os juros. Se você é registrado CLT, verifique com o seu banco como fazer o Empréstimo Consignado Descontado em Folha, que tem os menores juros do mercado e como é descontado direto na sua folha de pagamento, não tem risco de esquecer de pagar.
Quando você pega o montante total da dívida em um lugar só, você pode quitar os pequenos empréstimos a vista, o que permite uma boa renegociação com o banco (já perdi a conta do número de vezes que renegociei empréstimos – dos outros – e a redução dos juros é bem grande!).

b) Compre à vista
Lembre-se que nos meses de novembro/dezembro/janeiro, sua renda costuma ser maior devido ao décimo terceiro, férias e participações de resultados. Contudo, sua renda mensal pode não comportar mais uma prestação e você pode acabar descobrindo isso da pior maneira…
Por isso, neste período efetue sempre compras à vista, que além de muitas vezes te darem margem para pechinchar e conseguir uma economia, ainda evita surpresas desagradáveis no futuro.

c) Não tem dinheiro sobrando? Evite liquidações!
Por mais tentador que seja ver aquele vestido lindo com um super desconto, eu sigo a seguinte linha de raciocínio: algo estar pela metade do preço não me faz ter dinheiro para comprá-lo. E se você quer ter suas finanças organizadas no próximo ano, isso tem que ser um mantra na sua vida!
Tudo bem que cada caso deve ser analisado: uma calça jeans pra usar na faculdade, um blazer preto pra usar no trabalho e/ou outras peças curingas quando se está realmente sem roupa precisando, podem ser aquisições que valham a pena. Mas antes faça as contas com calma para ver o impacto da nova compra no orçamento: normalmente vale mais comprar a calça depois da promoção pelo preço de tabela, do que ficar no vermelho e pagando juros intermináveis para o banco.

d) Tenha certeza de que você realmente quer (ou precisa de) algo, antes de comprá-lo
Sabe aquela compra magnífica que você fez por impulso e depois quando chegou em casa começou a repensar? Todo mundo já passou por isso. Mas se frequentemente o looping de comprar e se arrepender faz parte da sua vida, está na hora de eliminar este hábito tão destrutivo para suas finanças!
Aprendi uma técnica muito bacana em uma das palestras do consultor de finanças pessoais Gustavo Cerbasi: depois que você entrou na loja, experimentou, viu o preço e teve certeza de que iria comprar, agradeça ao vendedor e vá dar uma volta. Não leve de imediato para que você possa ter um tempinho para analisar se a compra realmente vale a pena. Essa técnica funciona super bem, porque como você entra na loja e se deixa levar pelo vendedor, você acaba experimentando a sensação da compra, mas sem efetivá-la! Sem contar que as vezes o vendedor se assusta com a idéia de perder a venda e acaba te oferecendo um preço mais camarada.
Sou sincera em dizer que já fiz isso muitas vezes (inclusive em compras online, que cheguei a por no carrinho e deixei para efetivar a compra no outro dia!) e funciona mesmo!!! Experimente e diga adeus as compras desnecessárias!

e) Registre e controle seus gastos
Se você não monitora seus gastos – por menores que sejam – fica muito mais difícil manter sua vida financeira organizada. Normalmente as pessoas registram os gastos maiores: aluguel, prestações diversas, faculdade…mas se esquece que de 30 em 30 reais, sua fatura pode facilmente passar dos 500 sem que você perceba. Um lanchinho aqui, um presente de aniversário ali, aquele livro que o professor pediu e os almoços fora com a galera do trampo podem acabar estourando sua fatura do cartão sem que você perceba! Tenha um caderninho (ou planilha excel) para detalhar seus gastos e acompanhar se as despesas estão de acordo com a sua receita.

f) Planeje e limite seus gastos
Se pequenos gastos descontrolados podem confundir a sua vida, não planejá-los e extrapolar seu salário pode te fazer cair no cheque especial e no famoso juros sobre juros. O grande erro de planejar-se apenas para o pagamento de contas grandes irá te derrubar aqui: aquele sorvete no parque, o barzinho com os amigos e o presente de aniversário da sogra vão estourar seu orçamento e o banco não terá o menor dó. Se você ganha mil, não pode gastar mil e duzendos. Simples assim.
Todos os nossos gastos devem ser planejados para que possamos monitorá-los, desde a prestação da casa até a manicure. Reserve também algum dinheiro para o seu lazer, porque ninguém é de ferro, e para pequenos imprevistos que podem ocorrer em casa ou com seu carro, por exemplo.
Calculou tudo e faltou dinheiro? Hora de sentar e refazer as contas para ver quais gastos você consegue reduzir!
Talvez o almocinho semanal na churrascaria tenha que se tornar quinzenal e as visitas ao shopping tenham que ser reduzidas. Mas este é o único jeito para se fechar o cálculo: ou se aumenta a receita (fazendo horas extras, freelas, vendendo Jequiti…) para cobrir as despesas, ou é preciso cortar gastos radicalmente.

g) Poupe para garantir um futuro tranquilo!
Normalmente as pessoas deixam para poupar o que sobrar do salário daquele mês…o problema é que nunca sobra! Com isso os anos vão passando e quando algum imprevisto surge ou a idade chega, nos arrependemos de não termos poupado. Me lembro que há uns 10 anos atrás tentaram assaltar minha casa em Curitiba e além de estourar toda a maçaneta e chave tetra, ainda quebraram os batentes laterais com pé de cabra e danificaram a porta. Graças a Deus eles não tiveram tempo de entrar e levar algo, mas a conta do marcineiro e do chaveiro me assustaram: o conserto custou exatamente R$383,00. Me lembro como se fosse agora, porque se hoje já é um belo montante, imagina há 10 anos atrás, pra uma menina de 20 anos sem nenhuma reserva? E lá fui eu para o cheque especial para consertar a porta que não poderia esperar.
O ideal é que poupemos para o nosso futuro e tenhamos uma reserva mensal para imprevistos, mas como Roma não foi construída em um só dia, você também pode dar um passo da cada vez…comece economizando um valor x por mês e em caso de imprevisto você também estará coberto.
A regra de ouro para conseguir poupar é: separe ANTES – no seu planejamento, planilha, caderninho – o valor que será poupado. Primeiro tire os cem reais da poupança futura – ou o valor que estiver de acordo com suas finanças – e depois com o valor que sobrar planeje seus gastos. A conta não fecha? Falta dinheiro? Se aperte um pouquinho cortando os supérfluos e siga forte com sua economia, pois quando você estiver mais velho, essa rendinha extra vai ser mais necessária do que nunca!

h) Não conseguiu poupar? Crie uma conta para pagar!
Você já tentou inúmeras vezes guardar dinheiro mas nunca consegue? A solução pode ser criar um boleto ou débito automático mensal!
Iniciar um plano de previdência privada com desconto em folha (ou débito automático), comprar um título de capitalização, entrar um consórcio…existem diversas maneiras que te ajudam a ter disciplina para guardar o dinheiro e o melhor: como muitas vezes se perde a rentabilidade ou se paga carência para movimentar o dinheiro, você acaba pensando duas vezes antes de sacar. Pode ser uma boa alternativa!

i) Escolha a melhor maneira de investir seu dinheiro
A cada dia surgem mais opções para quem quer investir suas economias, o que acaba confundindo a cabeça de todo mundo! Além da boa e velha poupança, você também pode fazer um plano de previdência privada, comprar títulos do tesouro, CDB, títulos de capitalização, ações da bolsa…uma infinidade de oportunidades que variam de acordo com o nível de risco e tempo de investimento.
A primeira dica que dou é a mesma que nossas avós já diziam: nunca coloque todos os ovos na mesma cesta. De fato você conseguirá rendimentos melhores com uma aplicação CDB maior, mas você fica menos sujeita ao banco quando você diversifica seus investimentos.
A segunda dica é: ao menos que seu gerente seja um amigo pessoal, não tome decisões apenas com a sugestão dele. Os gerentes de bancos precisam bater metas de venda de seguros, títulos de capitalizações, valor aplicado no rendimento x ou y…escute o que o banco tem para lhe oferecer e pesquise em outros lugares, converse com amigos e faça suas contas. Só assim você saberá qual é o melhor investimento para a sua grana.

j) Não se culpe por uma vida financeira descontrolada no passado, bola pra frente!
E a última dica que dou é: não se culpe e nem tente se justificar pelas frustrações que passaram. Você ainda é jovem e pode reorganizar sua vida para ter mais momentos de lazer e uma velhice tranquila. Errar todo mundo erra e o primeiro passo para o sucesso é reconhecer o erro e se perdoar por ele. Vamos começar um 2013 mais organizado e abonado juntas?

Gostaria de lembrar que não sou consultora financeira (e sim engenheira de produção) e que tudo que escrevi aqui foram lições aprendidas da minha vida pessoal. Mas espero que as dicas sejam úteis para vocês como tem sido para mim! Se você tem alguma dúvida – ou gostaria de sugerir algum post mais detalhando sobre algum destes temas especificamente – pode escrever nos comentários ou mandar e-mail para raissa.kahn@yahoo.com.br, será um prazer te ajudar a sair da pindaíba rumo a estabilidade financeira em 2013!

12 thoughts on “Organizando as Finanças em 2013

    • Olha que bacana…o bom é que como você tem tempo até 2014, dá pra pesquisar os melhores pacotes e ainda pagar quase tudo a vista pra conseguir um descontinho bom =]

      Eu sempre faço os meus planejamentos de viagem com antecedência pra viajar susse tb!

  1. Raissa é muito importante falar sobre vida financeira, pois esse tipo de educação poucos pais dão aos filhos nos primeiros anos de vida.
    Hoje eu tenho vergonha de ser enrolada financeiramente, mas há pelo menos 1 ano, eu estou pagando tudo que deixei na época que tive um descontrole nas finanças.
    A minha família, fala para mim ter um pouco de vergonha na cara, pois vou contra a minha formação acadêmica em Administração de Empresa.
    O importante é reconhecer onde errou e bola para frente, eu quero começar 2013 um pouco mais tranquila no campo financeiro.

    • Pois é Bru, infelizmente muita gente (inclusive eu) acaba aprendendo fora de casa dando cabeçada…

      Mas super concordo com você: não adianta ficar se lamentando pelo que já foi! Bola pra frente e que venha 2013 =]

  2. Raissa
    Achei seu post excelente, pois mostra bem a realidade (e a dificuldade) que é ter uma vida financeira organizada, o que requer muita disciplina e determinação.
    Graças a Deus, depois de dar muita cabeçada, aprendi a controlar meus gastos e principalmente me controlar, o que, na minha opinião, é o fator de maior relevância para quem está com dificuldades financeiras.
    Temos o péssimo hábito de achar que um vestido novo, um cabelo novo, uma casa nova (e muitos outros novos…) trarão o sentimento de satisfação, e é aí que mora o engano. O ato de estar bem consigo mesmo não pode ser substituído por coisas “compráveis”.
    Foi assim que aprendi a viver uma vida controlada e feliz. Como você disse, aprendi a entrar na loja, provar, gostar e não levar, por perceber que não há necessidade! E mesmo quando preciso de algo, penso, repenso, pesquiso, até sentir que é a hora certa!
    Sucesso nessa jornada!
    Bjo

    • Obrigada pela visita e pelo comentário Dani…vc sabe o quanto é importante pra mim néam?

      A gente sofre, desliza, mas no final aprende, né? rs

  3. Ótimo post!
    Estou tentando organizar minhas finanças e minha vida nesse começo de ano…
    Gostei bastante das suas dicas

    • Que bom que você gostou Dani!
      Sucesso na sua organização e se precisar de mais dicas avisa, tá?

      Beijão!

  4. Oi Raissa, amei o post!

    Eu sou super encanada com vida financeira em ordem, não sei se é impressão minha mas estando casada é ainda mais importante, pois nesse caso não tem o meu dinheiro e o seu dinheiro, é tudo junto pra crescer junto e conquistar os projetos/objetivos.

    O controle financeiro tem q ser uma constante, pois ao menor sinal de descuido, lá estamos nós nos jogando nas liquidações, não tem jeito, somos mulheres! rs

    Amei as dicas. Feliz 2013 com mto dindin na conta bancária, pq no bolso é mto perigoso.. rs 🙂

    Bjoss

    • Oi Paulinha!
      Pois é, na vida a dois é ainda mais complicado…aqui em casa é tudo separadinho e ainda assim demanda bastante organização pra não dar briga. hehehe

      Que bom que você gostou das dicas, espero que sejam super úteis e você tenha um 2013 abonado com muito dimdim no banco!

  5. Rah,

    Adorei o post, mas na verdade não me vejo seguindo.

    Quero dicas para quem ganha mal bem mal, rola um guia para a galera do salário minimo?
    😛

  6. A solução que eu encontrei foi abrir uma conta poupança pro meu filho e não cadastrar senha, assim deposito e não tem risco de eu pgar “emprestado”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *