Resenha – Lenços Removedores de Esmaltes Océane

Descobri estes lencinhos super práticos da Océane há muito, mas muito tempo atrás (acho que uns 2 ou 3 anos), mas como na época estava uma febre de blogueiras parceiras da marca tecerem dezenas de elogios para angariar brindes, nem escrevi nada mas continuei como consumidora anônima e feliz.

Como volta e meia vai um cliente lá na fábrica ou tenho uma reunião de urgência, sempre carrego um potinho na bolsa e deixo outro em casa. A minha surpresa foi ver que a maioria da mulherada lá da fábrica (e também do escritório comercial) não conhecia essa belezinha…então resolvi resenhar para que se alguém ainda não conhece, possa conhecer e saber que unhas descascadas nunca mais!

Fotinho das embalagens antigas que eu tinha em casa

O que promete o fabricante?

Procurei no site oficial da marca e a única descrição que vi foi “friccione o lenço sobre as unhas até retirar completamente o esmalte”.

O que achei?

O produto existe na opção sem cheiro (branca), baunilha (roxinho), Wild Strawberry (vermelho) e Acque Breeze (verde), sendo estes dois últimos os meus preferidos. A embalagem possui 25 lencinhos e o consumo depende muito da cor e do tipo do esmalte que você está usando. Para tirar um branquinho uso em média 5 lenços para as duas mãos. Já os vermelhos demandam muito mais lencinhos e paciência…mas ainda sim vale a pena!

Como o produto é meio oleoso e costuma deixar as unhas – ao menos as minhas – com marcas brancas superficiais logo após o uso. Então costumo retirar o esmalte com um lencinho e papel toalha por perto, depois lavar bem as mãos e aplicar um hidratante para mãos e unhas (nomalmente uso esse aqui).

Avaliação Final do Produto:

Além de cumprir o que promete (retirar o esmalte das unhas), estes lencinhos são fáceis de encontrar (custam em média R$5,00 em qualquer farmácia) e vem numa embalagem prática de carregar. Só não ganharam nota máxima porque o produto é fica super oleoso e acaba fazendo uma lambança que pode manchar alguma roupa…coisa que com bastante cuidado pode ser evitada.

Dicas para Cabelos de Diva!

Para quem tem uma enorme dificuldade em atividades manuais (desde passar delineador, até fazer um penteado simples), a Wella criou um canal sensacional com diversas dicas em vídeos de como fazer penteados das estrelas, tratar seu cabelo com carinho ou ainda como manusear baby liss e etc. Ótima oportunidade pra assistir – e praticar trocentas vezes – cada tutorial num domingo de chuva e arrasar quando tiver alguma ocasião importante!

Quer conhecer os tipos de grampos e prendedores?

[youtube id=”nySdGv_TEgQ” width=”620″ height=”360″]

Quer conhecer os tipos de pentes e escovas?

[youtube id=”_QG3AkogE50″ width=”620″ height=”360″]

Quer tentar uns penteados bacanas? Eu amei esses daqui <3

[youtube id=”cVyDRbO3-9A” width=”620″ height=”360″]

[youtube id=”25FNS6uanes” width=”620″ height=”360″]

E se ainda sim você estiver sofrendo pra arrasar no penteado, a fanpage da Wella criou um aplicativo salva-vidas chamado Penteadeira Virtual, onde você ativa sua câmera e vai fazendo o passo a passo junto com o vídeo! O vídeo original fica quebrado em partes que você vai liberando conforme avança no passo a passo…perdeu alguma parte? Para e dá play de novo! Não é o máximo?

Adorei e tou correndo testar o aplicativo em 3, 2, 1….

A Campus Party Brasil 2013 está chegando!!!

No próximo dia 28, começa aqui em São Paulo a #cpbr6 no Anhembi (Avenida Olavo Fontoura, 1.209) para alegria geral da nação! O evento vai de 28 de janeiro a 03 de fevereiro com temas diversos e atrações para campuseiros e visitantes, nos seus 9 palcos temáticos.

Uma novidade super bacana pra quem gosta de moda é que a FiveBlu, primeira fast fashion online do Brasil, será também a primeira empresa do segmento de moda a patrocinar a Campus Party. E pra quem acha que moda e tecnologia não combinam, saiba que o segmento de moda e acessórios corresponde a 11% do volume total de vendas pela internet , que já superava o total do ano passado em aproximadamente 21%. E isso não é apenas uma tendência no Brasil, a comScore em Setembro de 2012 anunciou que dentre os 1.100 entrevistados do Brasil, Argentina, México, Chile, Colômbia, México, Peru e Venezuela, 43% comprou algum item de vestuário nos últimos 3 meses.

Consolidada como um dos cinco maiores mercados para o comércio eletrônico do país, a indústria da moda cada vez mais investe em novas tecnologias afim de acompanhar mudanças, para  se manter ativa e relevante no ambiente digital, que para a maioria das marcas é relativamente novo. Para quem não conhece a FiveBlu, a marca foi lançada em 2012 e oferece produtos de moda super atuais a preços super acessíveis.

Quer conhecer os palcos da #cpbr6?

Palco Principal (Magistrais, Destaques e Fórum)

Galileu (Astronomia, Hardware, Moddig e Eletrônica, Robótica, Biotecnologia, Nanotecnologia e GreenTech)

Michelangelo (Design, Fotografia, Vídeo e Música)

Gutenberg (Mídias Sociais e Blogs)

Pitágoras (Desenvolvimento e Sistemas Operacionais)

Sócrates (Software Livre)

Arquimetes (Segurança e Redes)

Hypatia (Empreendedorismo)

Stadium (Simulação)

Já tou super animada contando os dias pra ir…e você?

 

[Resenha] Palette de Maquiagem Miami Sunset de O Boticário

No finalzinho do ano comprei a paleta super fofa e compacta da coleção Miami Sunset de O Boticário, que possui 16 cores de sombras, 2 de blush e 4 batons. Isso tudo sem contar os 3 aplicadores e o espelhinho super prático. Embora eu não use maquiagem no dia a dia, ossos do ofício de quem trabalha em fábrica, confesso que foi amor a primeira vista e também resolvi comprar essa paleta pra reduzir o volume de make pra levar nas viagens e ter mais opções de cores quando tiver algum evento.

O que promete o fabricante?

Make B. Miami Sunset Collection foi inspirada no clima, nas cores e nas festas efervescentes e sofisticadas de Miami Beach trazendo estas tendências para o Verão 2012/13.
A Palette de Maquiagem Make B. é versátil e moderna, composta por cores incríveis desta estação. Proporciona looks completos e variados, tanto para o dia quanto para a noite. Sombras, blushs e brilhos labiais, juntos em uma embalagem prática e sofisticada

O que achei?

Comecei testando as sombras que tem cores lindíssimas, são bem pigmentadas, pouco cintilantes (o que achei ótimo) e super fáceis de passar. Misturei a menta com a branca, a turqueza com a branca…fiz várias combinações fofas pra sair com as amigas e mesmo usando sem primer, dura o dia quase todo. Nunca havia experimentado sombras douradas ou em tons terrosos e amei que agora tenho diversas opções pra brincar!!!

Como sou bem branquinha, as duas cores de blush super combinam comigo. Elas tem um pouquinho de brilho, mas nada exagerado, e me apaixonei pelo salmão (para mim é pêssego…rs) que é muito parecida com o blush que tenho da coleção Wonder Woman da MAC e por ser clarinha e discreta, dá pra usar sempre e ficar instantameamente com aquela cara de saúde nas fotos…amei mesmo!

Achei as cores dos batons muito fortes, mas fiquem tranquilas que na boca elas ficam bem mais naturais. As minhas preferidas foram o Coral e o Rosa antigo.

Avaliação Final do Produto

Eu amei! Esta paleta super prática tem tudo o que eu preciso, para qualquer tipo de evento e ainda é super prática pra levar na bolsa porque ninguém merece aquelas paletas gigantescas estilo maletuxas. A embalagem também é bem robusta (confesso que já derrubei no chão e ela sobreviveu) e tem um fecho diferente. Pode ser adquirida na loja online (ou em qualquer loja de O Boticário) por R$99,00.

Como se fala em Curitiba?

Só quem mora (ou já morou) na capital paranaense consegue entender a infinidade de gírias locais e únicas: penal, piá, vina, dolangue e tantas outras que me fizeram rir por tantas vezes nestes 10 anos que morei em Curitiba. Pensando nisso, uma galera super bacana criou o canal Como se Fala em Curitiba? no youtube e já fez 3 vídeos com assuntos e termos que só são usados por lá…é pra rolar de rir!

[youtube id=”P_SLLtCCt3o” width=”620″ height=”360″]

[youtube id=”OjF6FiDJuZk” width=”620″ height=”360″]

[youtube id=”j240p_m8kgE” width=”620″ height=”360″]

Tesão né piazada? Espero que vocês tenham gostado, daí….rs

Seja feliz abrindo mão de ser escravo dos supérfluos!

Minha mãe e meu pai me passaram valores (cada um à sua maneira) sobre dinheiro e vida que levarei para sempre. Acho que o maior deles, é que viagens e cultura (seja através da leitura, estudo ou pela própria viagem) são os bens mais preciosos que você pode ter.

Eu não tenho carro do ano (na verdade, nunca tive!) e nem ando com roupas de marcas caras…mas graças a Deus fiz viagens inesquecíveis, conheci pessoas e culturas surpreendentes, estou inciando meu quarto idioma, moro com a pessoa que amo, faço o que gosto e sou feliz. Simples assim. Foi por isso que resolvi partilhar com vocês este texto maravilhoso da coluna Mulher 7×7 do site da Época (dica da amiga Flayza Vieira)…que tal abrir mão de todo um esquema de amarras que te prendem e ser feliz?

Parte das minhas aventuras conhecendo lugares lindos e gente bacana: Salzburg, Hong Kong, Roma, Floripa, Lucerna, Buenos Aires, Paris, Basel, Madrid, Floripa, Hong Kong e Munique

“No ano passado, meus pais (profissionais ultra-bem-sucedidos que decidiram reduzir o ritmo em tempo de aproveitar a vida com alegria e saúde) tomaram uma decisão surpreendente para um casal – muito enxuto, diga-se – de mais de 60 anos: alugaram o apartamento em um bairro nobre de São Paulo a um parente, enfiaram algumas peças de roupa na mala e embarcaram para Barcelona, onde meu irmão e eu moramos, para uma espécie de ano sabático.

Aqui na capital catalã, os dois alugaram um apartamento agradabilíssimo no bairro modernista do Eixample (mas com um terço do tamanho e um vigésimo do conforto do de São Paulo), com direito a limpeza de apenas algumas horas, uma vez por semana. Como nunca cozinharam para si mesmos, saíam todos os dias para almoçar e/ou jantar. Com tempo de sobra, devoraram o calendário cultural da cidade: shows, peças de teatro, cinema e ópera quase diariamente. Também viajaram um pouco pela Espanha e a Europa. E tudo isso, muitas vezes, na companhia de filhos, genro, nora e amigos, a quem proporcionaram incontáveis jantares regados a vinhos.

Com o passar de alguns meses, meus pais fizeram uma constatação que beirava o inacreditável: estavam gastando muito menos mensalmente para viver aqui do que gastavam no Brasil. Sendo que em São Paulo saíam para comer fora ou para algum programa cultural só de vez em quando (por causa do trânsito, dos problemas de segurança, etc), moravam em apartamento próprio e quase nunca viajavam.

Milagre? Não. O que acontece é que, ao contrário do que fazem a maioria dos pais, eles resolveram experimentar o modelo de vida dos filhos em benefício próprio. “Quero uma vida mais simples como a sua”, me disse um dia a minha mãe. Isso, nesse caso, significou deixar de lado o altíssimo padrão de vida de classe média alta paulistana para adotar, como “estagiários”, o padrão de vida – mais austero e justo – da classe média europeia, da qual eu e meu irmão fazemos parte hoje em dia (eu há dez anos e ele, quatro). O dinheiro que “sobrou” aplicaram em coisas prazerosas e gratificantes.

Do outro lado do Atlântico, a coisa é bem diferente. A classe média europeia não está acostumada com a moleza. Toda pessoa normal que se preze esfria a barriga no tanque e a esquenta no fogão, caminha até a padaria para comprar o seu próprio pão e enche o tanque de gasolina com as próprias mãos. É o preço que se paga por conviver com algo totalmente desconhecido no nosso país: a ausência do absurdo abismo social e, portanto, da mão de obra barata e disponível para qualquer necessidade do dia a dia.

Traduzindo essa teoria na experiência vivida por meus pais, eles reaprenderam (uma vez que nenhum deles vem de família rica, muito pelo contrário) a dar uma limpada na casa nos intervalos do dia da faxina, a usar o transporte público e as próprias pernas, a lavar a própria roupa, a não ter carro (e manobrista, e garagem, e seguro), enfim, a levar uma vida mais “sustentável”. Não doeu nada.

Uma vez de volta ao Brasil, eles simplificaram a estrutura que os cercava, cortaram uma lista enorme de itens supérfluos, reduziram assim os custos fixos e, mais leves,  tornaram-se mais portáteis (este ano, por exemplo, passaram mais três meses por aqui, num apê ainda mais simples).

Por que estou contando isso a vocês? Porque o resultado desse experimento quase científico feito pelos pais é a prova concreta de uma teoria que defendo em muitas conversas com amigos brasileiros: o nababesco padrão de vida almejado por parte da classe média alta brasileira (que um europeu relutaria em adotar até por uma questão de princípios) acaba gerando stress, amarras e muita complicação como efeitos colaterais. E isso sem falar na questão moral e social da coisa.

Babás, empregadas, carro extra em São Paulo para o dia do rodízio (essa é de lascar!), casa na praia, móveis caríssimos e roupas de marca podem ser o sonho de qualquer um, claro (não é o meu, mas quem sou eu para discutir?). Só que, mesmo em quem se delicia com essas coisas, a obrigação auto-imposta de manter tudo isso – e administrar essa estrutura que acaba se tornando cada vez maior e complexa – acaba fazendo com que o conforto se transforme em escravidão sem que a “vítima” se dê conta disso. E tem muita gente que aceita qualquer contingência num emprego malfadado, apenas para não perder as mordomias da vida.

Alguns amigos paulistanos não se conformam com a quantidade de viagens que faço por ano (no último ano foram quatro meses – graças também, é claro, à minha vida de freelancer). “Você está milionária?”, me perguntam eles, que têm sofás (em L, óbvio) comprados na Alameda Gabriel Monteiro da Silva, TV LED último modelo e o carro do ano (enquanto mal têm tempo de usufruir tudo isso, de tanto que ralam para manter o padrão).

É muito mais simples do que parece. Limpo o meu próprio banheiro, não estou nem aí para roupas de marca e tenho algumas manchas no meu sofá baratex. Antes isso do que a escravidão de um padrão de vida que não traz felicidade. Ou, pelo menos, não a minha. Essa foi a maior lição que aprendi com os europeus — que viajam mais do que ninguém, são mestres na arte do savoir vivre e sabem muito bem como pilotar um fogão e uma vassoura.

PS: Não estou pregando a morte das empregadas domésticas – que precisam do emprego no Brasil –, a queima dos sofás em L e nem achando que o “modelo frugal europeu” funciona para todo mundo como receita de felicidade. Antes que alguém me acuse de tomar o comportamento de uma parcela da classe média alta paulistana como uma generalização sobre a sociedade brasileira, digo logo que, sim, esse texto se aplica ao pé da letra para um público bem específico. Também entendo perfeitamente que a vida não é tão “boa” para todos no Brasil, e que o “problema” que levanto aqui pode até soar ridículo para alguns – por ser menor. Minha intenção, com esse texto, é apenas tentar mostrar que a vida sempre pode ser menos complicada e mais racional do que imaginam as elites mal-acostumadas no Brasil.”

fonte: http://colunas.revistaepoca.globo.com/mulher7por7/2010/10/30/como-a-classe-media-alta-brasileira-e-escrava-do-alto-padrao-dos-superfluos/

[Resenha] Mousse de Controle de Cachos da Moroccanoil

Quando o tal óleo de argan surgiu para inovar como solução para os cabelos, foi aquele bafafá, todo mundo criando tudo a base de argan. Eu testei 3 tipos de óleo de argan e fiz essa resenha aqui, mas como comentei, todos tem um efeito muito melhor em cabelos lisos – ou no meu mesmo quando faço escova – do que em cabelos ondulados e cacheados, por isso fiquei super contente ao descobrir que a Moroccanoil finalmente tinha inventado algo para nós que somos cacheadas!

Comprei o meu por R$95,00 num salão em Ribeirão Preto e corri para casa testar…foi aí que começou a decepção.

O que promete o fabricante?

O Mousse de Controle de Cachos Moroccanoil controla e define os cachos enquanto mantém a umidade dos fios, elimina o frizz e oferece melhor fixação. Com brilho aprimorado e textura suave, proporciona umidade intensa sem deixar resíduos. Indicado especialmente para cabelos cacheados a crespos, formula enriquecida com Óleo de Argan para controlar, definir e manter os cachos naturais por horas, selando a cuticula dos fios. Com o Mousse Moroccanoil os cachos se tornam macios, sedosos e naturais em qualquer hora, tempo e dia.

O que achei?

Acho que este foi o primeiro produto que testei com todo o carinho do mundo que não cumpriu nada do que prometeu. Antes desta resenha eu tentei usar de pelo menos 4 formas diferentes, porque eu simplesmente não acreditei que este produto, de uma marca tão conceituada, fosse tão ruim. Mas vamos lá…

Tentativa 1 – Shampoo + Condicionador + uma pequena quantidade de Mousse de Controle de Cachos como leave-in com o cabelo bem molhado: os cachos não formaram, o frizz ficou absurdo e não hidratou absolutamente nada!

Tentativa 2 – Shampoo + Condicionador + uma pequena quantidade de Mousse de Controle de Cachos como leave-in com o cabelo úmido (sequei com papel toalha conforme recomendação): o resultado foi exatamente o mesmo.

Tentativa 3 – Shampoo + Condicionador + uma grande quantidade de Mousse de Controle de Cachos como leave-in com o cabelo bem molhado: os cachos também não se formaram direito, o cabelo ficou oleoso, com espumas brancas que secaram onde não consegui espalhar…uma meleca só!

Tentativa 4 – Shampoo + Condicionador + uma pequena quantidade de Mousse de Controle de Cachos como leave-in com o cabelo seco: reduziu o frizz por algumas horas e deixou o cabelo oleoso.

Ou seja: infelizmente em nenhuma das tentativas o produto se adequou ao meu cabelo…alguém aí já usou e sabe algum outro jeito?

Avaliação Final do Produto

Fiquei muito triste com o resultado e com o valor gasto (R$95,00) para descobrir que o produto não cumpre o que promete. Por essas e por outras que sou a favor das caixinhas de beleza, porque assim testamos os produtos antes de comprarmos os full sizes que não se adequam ao nosso tipo de pele ou cabelo…

 

Organizando as Finanças em 2013

Diz o ditado popular que “dinheiro não trás felicidade”. Mas o que o ditado não conta é que com dinheiro, você pode trazer felicidade pra muita gente e ainda viver muitos momentos felizes com sua família!
Uma vida financeira organizada e saudável, permite que você pare de adiar aquela reforma na casa dos seus pais, faça aquela viagem de final de ano especial, finalmente troque os armários velhos por uma cozinha planejada, compre um carro novo, ajude aquele amigo que está passando por um aperto…mas uma vida financeira desorganizada pode trazer muita dor de cabeça!
Por isso, pra te ajudar a começar o ano de 2013 organizando suas finanças, montei esse post com algumas lições importantes baseadas na minha experiência com finanças:

a) Unifique suas dívidas
Se 2012 foi um ano financeiramente ruim e você precisou fazer empréstimos, usar limite ou cheque especial, o montante de pequenos empréstimos confunde a cabeça na hora de pagar, dificulta as contas e triplica os juros. Se você é registrado CLT, verifique com o seu banco como fazer o Empréstimo Consignado Descontado em Folha, que tem os menores juros do mercado e como é descontado direto na sua folha de pagamento, não tem risco de esquecer de pagar.
Quando você pega o montante total da dívida em um lugar só, você pode quitar os pequenos empréstimos a vista, o que permite uma boa renegociação com o banco (já perdi a conta do número de vezes que renegociei empréstimos – dos outros – e a redução dos juros é bem grande!).

b) Compre à vista
Lembre-se que nos meses de novembro/dezembro/janeiro, sua renda costuma ser maior devido ao décimo terceiro, férias e participações de resultados. Contudo, sua renda mensal pode não comportar mais uma prestação e você pode acabar descobrindo isso da pior maneira…
Por isso, neste período efetue sempre compras à vista, que além de muitas vezes te darem margem para pechinchar e conseguir uma economia, ainda evita surpresas desagradáveis no futuro.

c) Não tem dinheiro sobrando? Evite liquidações!
Por mais tentador que seja ver aquele vestido lindo com um super desconto, eu sigo a seguinte linha de raciocínio: algo estar pela metade do preço não me faz ter dinheiro para comprá-lo. E se você quer ter suas finanças organizadas no próximo ano, isso tem que ser um mantra na sua vida!
Tudo bem que cada caso deve ser analisado: uma calça jeans pra usar na faculdade, um blazer preto pra usar no trabalho e/ou outras peças curingas quando se está realmente sem roupa precisando, podem ser aquisições que valham a pena. Mas antes faça as contas com calma para ver o impacto da nova compra no orçamento: normalmente vale mais comprar a calça depois da promoção pelo preço de tabela, do que ficar no vermelho e pagando juros intermináveis para o banco.

d) Tenha certeza de que você realmente quer (ou precisa de) algo, antes de comprá-lo
Sabe aquela compra magnífica que você fez por impulso e depois quando chegou em casa começou a repensar? Todo mundo já passou por isso. Mas se frequentemente o looping de comprar e se arrepender faz parte da sua vida, está na hora de eliminar este hábito tão destrutivo para suas finanças!
Aprendi uma técnica muito bacana em uma das palestras do consultor de finanças pessoais Gustavo Cerbasi: depois que você entrou na loja, experimentou, viu o preço e teve certeza de que iria comprar, agradeça ao vendedor e vá dar uma volta. Não leve de imediato para que você possa ter um tempinho para analisar se a compra realmente vale a pena. Essa técnica funciona super bem, porque como você entra na loja e se deixa levar pelo vendedor, você acaba experimentando a sensação da compra, mas sem efetivá-la! Sem contar que as vezes o vendedor se assusta com a idéia de perder a venda e acaba te oferecendo um preço mais camarada.
Sou sincera em dizer que já fiz isso muitas vezes (inclusive em compras online, que cheguei a por no carrinho e deixei para efetivar a compra no outro dia!) e funciona mesmo!!! Experimente e diga adeus as compras desnecessárias!

e) Registre e controle seus gastos
Se você não monitora seus gastos – por menores que sejam – fica muito mais difícil manter sua vida financeira organizada. Normalmente as pessoas registram os gastos maiores: aluguel, prestações diversas, faculdade…mas se esquece que de 30 em 30 reais, sua fatura pode facilmente passar dos 500 sem que você perceba. Um lanchinho aqui, um presente de aniversário ali, aquele livro que o professor pediu e os almoços fora com a galera do trampo podem acabar estourando sua fatura do cartão sem que você perceba! Tenha um caderninho (ou planilha excel) para detalhar seus gastos e acompanhar se as despesas estão de acordo com a sua receita.

f) Planeje e limite seus gastos
Se pequenos gastos descontrolados podem confundir a sua vida, não planejá-los e extrapolar seu salário pode te fazer cair no cheque especial e no famoso juros sobre juros. O grande erro de planejar-se apenas para o pagamento de contas grandes irá te derrubar aqui: aquele sorvete no parque, o barzinho com os amigos e o presente de aniversário da sogra vão estourar seu orçamento e o banco não terá o menor dó. Se você ganha mil, não pode gastar mil e duzendos. Simples assim.
Todos os nossos gastos devem ser planejados para que possamos monitorá-los, desde a prestação da casa até a manicure. Reserve também algum dinheiro para o seu lazer, porque ninguém é de ferro, e para pequenos imprevistos que podem ocorrer em casa ou com seu carro, por exemplo.
Calculou tudo e faltou dinheiro? Hora de sentar e refazer as contas para ver quais gastos você consegue reduzir!
Talvez o almocinho semanal na churrascaria tenha que se tornar quinzenal e as visitas ao shopping tenham que ser reduzidas. Mas este é o único jeito para se fechar o cálculo: ou se aumenta a receita (fazendo horas extras, freelas, vendendo Jequiti…) para cobrir as despesas, ou é preciso cortar gastos radicalmente.

g) Poupe para garantir um futuro tranquilo!
Normalmente as pessoas deixam para poupar o que sobrar do salário daquele mês…o problema é que nunca sobra! Com isso os anos vão passando e quando algum imprevisto surge ou a idade chega, nos arrependemos de não termos poupado. Me lembro que há uns 10 anos atrás tentaram assaltar minha casa em Curitiba e além de estourar toda a maçaneta e chave tetra, ainda quebraram os batentes laterais com pé de cabra e danificaram a porta. Graças a Deus eles não tiveram tempo de entrar e levar algo, mas a conta do marcineiro e do chaveiro me assustaram: o conserto custou exatamente R$383,00. Me lembro como se fosse agora, porque se hoje já é um belo montante, imagina há 10 anos atrás, pra uma menina de 20 anos sem nenhuma reserva? E lá fui eu para o cheque especial para consertar a porta que não poderia esperar.
O ideal é que poupemos para o nosso futuro e tenhamos uma reserva mensal para imprevistos, mas como Roma não foi construída em um só dia, você também pode dar um passo da cada vez…comece economizando um valor x por mês e em caso de imprevisto você também estará coberto.
A regra de ouro para conseguir poupar é: separe ANTES – no seu planejamento, planilha, caderninho – o valor que será poupado. Primeiro tire os cem reais da poupança futura – ou o valor que estiver de acordo com suas finanças – e depois com o valor que sobrar planeje seus gastos. A conta não fecha? Falta dinheiro? Se aperte um pouquinho cortando os supérfluos e siga forte com sua economia, pois quando você estiver mais velho, essa rendinha extra vai ser mais necessária do que nunca!

h) Não conseguiu poupar? Crie uma conta para pagar!
Você já tentou inúmeras vezes guardar dinheiro mas nunca consegue? A solução pode ser criar um boleto ou débito automático mensal!
Iniciar um plano de previdência privada com desconto em folha (ou débito automático), comprar um título de capitalização, entrar um consórcio…existem diversas maneiras que te ajudam a ter disciplina para guardar o dinheiro e o melhor: como muitas vezes se perde a rentabilidade ou se paga carência para movimentar o dinheiro, você acaba pensando duas vezes antes de sacar. Pode ser uma boa alternativa!

i) Escolha a melhor maneira de investir seu dinheiro
A cada dia surgem mais opções para quem quer investir suas economias, o que acaba confundindo a cabeça de todo mundo! Além da boa e velha poupança, você também pode fazer um plano de previdência privada, comprar títulos do tesouro, CDB, títulos de capitalização, ações da bolsa…uma infinidade de oportunidades que variam de acordo com o nível de risco e tempo de investimento.
A primeira dica que dou é a mesma que nossas avós já diziam: nunca coloque todos os ovos na mesma cesta. De fato você conseguirá rendimentos melhores com uma aplicação CDB maior, mas você fica menos sujeita ao banco quando você diversifica seus investimentos.
A segunda dica é: ao menos que seu gerente seja um amigo pessoal, não tome decisões apenas com a sugestão dele. Os gerentes de bancos precisam bater metas de venda de seguros, títulos de capitalizações, valor aplicado no rendimento x ou y…escute o que o banco tem para lhe oferecer e pesquise em outros lugares, converse com amigos e faça suas contas. Só assim você saberá qual é o melhor investimento para a sua grana.

j) Não se culpe por uma vida financeira descontrolada no passado, bola pra frente!
E a última dica que dou é: não se culpe e nem tente se justificar pelas frustrações que passaram. Você ainda é jovem e pode reorganizar sua vida para ter mais momentos de lazer e uma velhice tranquila. Errar todo mundo erra e o primeiro passo para o sucesso é reconhecer o erro e se perdoar por ele. Vamos começar um 2013 mais organizado e abonado juntas?

Gostaria de lembrar que não sou consultora financeira (e sim engenheira de produção) e que tudo que escrevi aqui foram lições aprendidas da minha vida pessoal. Mas espero que as dicas sejam úteis para vocês como tem sido para mim! Se você tem alguma dúvida – ou gostaria de sugerir algum post mais detalhando sobre algum destes temas especificamente – pode escrever nos comentários ou mandar e-mail para raissa.kahn@yahoo.com.br, será um prazer te ajudar a sair da pindaíba rumo a estabilidade financeira em 2013!

[Resenha] Máscara Reparadora Aromacologia da L’Occitane

Desde que descobri a linha Aromacologia da L’Occitane, nenhuma outra linha ainda me conquistou. Fiz este post aqui há um ano atrás e ainda uso diariamente o mesmo shampoo, condicionador e leave-in.

Um dia desses, fazendo uma visitinha na loja para comprar mais shampoo e o sabonete Citrus Verbena que também tem resenha aqui, descobri a Máscara Reparadora para cabelos secos e danificados e resolvi testar para ver se meu cabelo tão judiado pelas mechas californianas e após uma semana na praia, ficava mais macio e com brilho.

O que promete o fabricante?

Com um complexo natural de 5 óleos essenciais – Angélica, Lavanda, Gerânio, Ylang-ylang, Laranja Doce e óleos de girassol e trigo. Recomendada principalmente para cabelos secos e danificados, esta máscara nutre e restaura as fibras capilares. Reparadora, estimulante e regeneradora, ajuda a proteger dos efeitos agressivos dos tratamentos de cabelo (secador de cabelo, chapinha, etc.) e do stress ambiental (sol, poluição, etc.). Este creme rico e sedoso deixa o seu cabelo brilhante, macio e suave.

O que achei?

Como adoro tudo que a L’Occitane faz, comprei com as expectativas lá em cima…e não me decepcionei! O cheiro é delicioso, a hidratação é super rápida e rende bastante, mas como usei de duas maneiras diferentes e como os resultados foram um pouco diferentes também, vou falar sobre cada um:

a) Shampoo + Máscara (10 min.) + Condicionador + Leave-in = Meu cabelo ficou super macio e reduziu absurdamente o frizz, porém deixou meu cabelo – que é seco – oleoso na raíz. Não recomendo.

b) Shampoo + Máscara (10 min.) + Leave in = Hidrata bastante deixando o cabelo super macio, dá um brilho super bonito, não pesa e nem ativa excessivamente meus cachos…a fórmula perfeita!

Avaliação Final do Produto

Na minha sincera opinião, o que fiz não foi uma compra, mas sim um investimento! O poder e a duração da hidratação que essa máscara tem, não perdem em nada para nenhuma hidratação importada de salão chique, e o melhor: com o valor que você pagaria em uma hidratação, você pode fazer pelo menos umas 20 vezes em casa!!!

Pode ser encontrada na loja online da marca, nas lojas L’Occitane de qualquer shopping ou ainda na Sephora pelo preço médio de R$75,00. Super recomendo, porque é sem dúvida a melhor máscara hidratante que já usei!