Dica de Leitura – Trilogia 50 Tons de Cinza

Antes de começar a nossa segunda – e eventualmente polêmica – dica de leitura aqui no blog, eu gostaria de partilhar alguns fatos sobre mim: amo ler desde muito pequena. Além de contar inúmeras estórias infantis, quando eu era apenas um bebê minha mãe me deu aqueles livrinhos de pano e de borracha (para folhear no banho) despertando meu amor pela leitura e dando início ao meu carinho enorme por livros. Li a infância e adolescência inteira: de livros de RPG, a toda a coleção do Sidney Sheldon e ainda livros de Auto-Ajuda como “Quem Mexeu no meu Queijo?”.

Já há alguns anos, meus títulos preferidos são profissonais (sobre Empreendedorismo, Sistema Toyota e Gerenciamento de Projetos) e também épicos/fantasia (como Crônicas Saxônicas, Mitologia Nórdica, Senhor dos Anéis, etc), mas baseada na minha trajetória de leitora eclética e assídua, me sinto preparada e livre de preconceitos para comentar este romance (ou softporn) tão atacado pela crítica. Decidi ler os 3 livros (50 Tons de Cinza, 50 Tons mais Escuros e 50 Tons de Liberdade) antes de escrever e como terminei na última semana, aqui vamos nós.

***Atenção: contém spoilers do livro***

Sem julgar a autora, seu passado ou a quantidade de edições e traduções já realizadas: o livro se trata de um romance água com açúcar – e um pouquinho de sacanagem – entre a jovem Anastácia Steele e o mega-empresário Christian Grey. Lembram daquelas revistinhas antigas tipo Sabrina, que nossas tias liam na intimidade? A trilogia segue exatamente o mesmo estilo!

A jovem/virgem/inocente/estudiosa/romântica Anastacia Steele vai até a empresa do gostosão/irresistível/multimilionário/controlador/sadomasoquista Christian Grey para ajudar a sua amiga Kate que precisava entrevistá-lo para o Jornal da Faculdade, mas que ficou muito doente na véspera da entrevista.

Rola um climinha entre os dois e um tempo depois ele vai até a loja de materiais de construção que ela trabalha para investir no xaveco. Eles se apaixonam e conforme vão se descobrindo, com seus medos, defeitos e particularidades, vão se unindo e aprendendo como conviver neste turbilhão de emoções: ela conhecendo um mundo de luxúria e prazer, ele conhecendo o afeto e o amor. Todo esse blablabla dura os 3 livros.

Entre idas, vindas e muito sexo selvagem, os dois se casam, toda família fica feliz, ela engravida (idas e vindas again) se tornam uma família multimilionária normal e vivem felizes para sempre.

E o povo ainda se pergunta porque esse livro fez tanto sucesso??? Já li critícas sobre se tratar de uma história de interesse, sobre ser algo muito irreal…mas o motivo chave está mais do que claro: qual garota não sonhou em conseguir mudar defeitinhos de seu namorado/marido (que atire a primeira pedra quem nunca!), viajar pelo mundo, ter um deus do sexo ao seu lado e tudo isso numa casa perfeita com a família de pessoas caridosas e perfeitas? Esse livro acaba suprindo o lado emocional/carente de milhões de mulheres e ainda é uma história romântica e fofa para o resto da população.

***Fim dos Spoilers***

O que achei da Trilogia 50 Tons de Cinza?

De fato são livros que não fazem muito o meu estilo. Embora eu tenha terminado o primeiro e ficado super ansiosa para ler o segundo, este se arrastou e li o terceiro em dois dias durante as chuvas que peguei na praia. Decidi pular as partes detalhadas da relação sexual e isso fez com que a minha leitura fosse incrivelmente mais rápida e menos massante! hehehe

Acredito que não leria outro livro no estilo ou uma eventual continuação, mas fico extremamente satisfeita de ver que este livro trouxe para o mundo da leitura tantas e tantas pessoas que há anos não liam nada. Eu mesma repassei o primeiro volume para diversas amigas (e mães de amigas!) que há muito não se interessavam por livros e que engrenaram lendo vorazmente os demais.

Então, se for pra servir de porta da entrada para o mundo mágico que se abre pelo hábito da leitura, que venham mais Tons de Cinza, Crepúsculos, Harry Potters e tantos outros fenômenos de leitura, com nem tanto conteúdo, mas com um imenso portal para o mundo mágico da imaginação!

Beijinhos e uma excelente semana!

26 thoughts on “Dica de Leitura – Trilogia 50 Tons de Cinza

  1. Puxa esperava que vc fosse dar uma resenha mais detalhada, um visão mais ampla do livro de acordo com seu entendimento. Eu ja li toda a triologia e achei sua opiniao muito simplória, parece que vc nao se aprofundou na historia do livro e nos seus personagens, que é o que faço quando leu. Tb sou leitora assídua desde menina e sempre que pego um livro pra ler, tento imaginar os personagens, a rotina, tudo, viajo mesmo no livro e senti no seu texto que vc foi muito simples, nao soube explicar o livro nas suas palavras. Acho que o motivo se deve ao fato de vc ter pulado páginas, querendo acabar mais rapido, para colocar sua “resenha” no site, como todos estão fazendo. Uma pena, seu site é bem legal, mas sua visão sobre os livros foi muito simplória.

    • Olá Andreia!
      Ao contrário do que você comentou, eu não pulei uma página sequer (de nenhum dos 3 livros), o que fiz foi pular descrições massantes e rasas das relações sexuais entre Ana e Christian.
      Existem centenas de resenhas criticando o lado “interesseiro” da mocinha e o lado “comprador” do mocinho, mas acho que não me cabe julgar os personagens, por isso fiz um resumo seco – e simples – da história para que, quem tiver interesse, leia sem preconceito e tire suas próprias conclusões.

      Lembrando também, que o post chama-se “Dica de Leitura” e não resenha de livros. Também viajo nas histórias dos personagens, mas acho que a imaginação é algo muito individual, por isso busco dar dicas de livros que li, e não interpretá-los para os leitores do blog.

      De qualquer jeito, muito obrigada pela sua visita e comentário, seja sempre bem vinda!

  2. Ra, eu estou no final do primeiro e juro pela alma de Rachel de Queiroz que não lerei os demais! hahaha… Peguei pra ler justamente pra poder falar com propriedade, mas tão logo termine, pretendo esquecer da historinha desses dois (isso é garantido, tendo em vista a situação da minha memória ultimamente). Creio que seu post sobre os livros foi à altura da qualidade dele. Não é uma leitura difícil, assim como não devem ser difíceis os comentários e resenhas sobre o livro. Típico caso de “não merecimento” mesmo. Pra mim, seu resuminho tá perfeito! =) BJX

    • Own Dani, obrigada pela visita e pelo elogio…eu chorei de rir com a sua “Escala Kleber BamBam de Intelecto”…hahahaha

      Beijos e saudades!

  3. Eu não li nenhum desses livros e pela resenha não pretendo ler. Já me disseram que o livro não é aquelas coisas e pelo que já vi por ai, concordo.

  4. Estou terminando o primeiro agora e no início ate achei interessante mas depois achei muito meloso, ela passa mais da metade do livro falando como ele é lindo e chega a cansar.Se não fosse pela parte do sexo diria que é um livro para pre-adolescente. E sim, eu sou romântica.

    • Pois é Manu, eu também sou super romântica (embora não pareça!) e chorei litros em histórias como O Morro dos Ventos Uivantes…mas infelizmente como você bem colocou, é quase um livro pré-adolescente com sexo!

    • Muito obrigada Nando!
      Não tenho interesse em comprar a trilogia, que como já falei é fraquinha, mas vi várias coisinhas interessantes no seu site…hehehe

  5. Eu li os 3 livros – shame on me – mais por curiosidade do que por qualquer outra coisa. Concordo com você em absoluto. É a típica leitura mata-tempo; até pode ser divertida, mas não passa disso.
    Fora o número incrível de disparidades na história e as descrições sobre sexo bastante constrangedoras – que eu, a seu exemplo, pulei todas.

    Um fato interessante que acabo de reparar: 90% das pessoas que leram a série só o fizeram para poder tirar uma onda depois. E ainda tem gente que quer acreditar que o número de vendas é eficaz como medidor de qualidade…

    • Pois é Lola, também li os 3 por curiosidade e me decepcionei com a pobreza da história…mas também me surpreendi com sua constatação: acho realmente que uns 30% leram, amaram e querem casar com o Sr. Grey x 70% dos que leram, foi só pra falar mal mesmo! rs

  6. ” (…) que venham mais Tons de Cinza, Crepúsculos, Harry Potters e tantos outros fenômenos de leitura, com nem tanto conteúdo, mas com um imenso portal para o mundo mágico da imaginação!”
    Só não concordo que Harry Potter se trate de um fenômeno de leitura com “nem tanto conteúdo”.
    🙂

  7. Oi Raissa,

    eu tbm li os 3 livros e achei muito meloso e mal escrito para ser sincera… da pra passar o tempo mas só isso…

    beijos

  8. Oiie,
    Eu espero que o filme me surpreenda mais do que o livro.
    O 1º livro ate certa parte e bastante interessante, mas a partir dai começa a parte do romance e vai ficando bastante repetitivo.
    Mas dentre todos os 3 o 50 tons de cinza foi o melhor e conseguiu me prender um pouco mais.
    Agora estou começando a ler os livros da Série Crossfire, e por enquanto tem uma historia bem parecida com a do 50 tons. Mas quem sabe consiga me deixar surpresa com sua história

    Beijos

    • Tenho exatamente a mesma impressão que você: o primeiro livro foi o melhor da trilogia.
      Ficamos no aguardo do filme então…na torcida por um Grey bem gatão =]

  9. É um livro de putaria, sem ser vulgar já que o vocabulário empregado não é chulo, e, diga-se foi muito bem traduzido. Só que está travestido de literatura erótica/psicológica americana.
    Qual a consequência para a mulher que leu qualquer dos 3 livros? Ela é casada, não tão bem casada, então depois da leitura, à noite ela dorme e sonha. Sonha com o Cristian Grei, estereótipo do príncipe encantado perfeito, porém quando ela acorda pela manhã, a decepção, está ao seu lado na cama o ZÉ MANÉ de todo dia, o ZÉ MANÉ de sempre.

  10. Bom gente, acho que ninguém de fato compreendeu a história. Quem pensa que se trata de um romance erótico está redondamento enganado. O livro fala de um homem, que tem aparência de perfeito, mas que se tornou um “monstro” em sua sexualidade por ter sido violentado quando criança. Ao invés do Sr. lindo virar um pedófilo e fazer com outras crianças o que fizeram com ele, ele se tornou um sado, pois na cabeça “dele” a única forma de vencer seus tratos é “humilhando alguém”. Quanto à Anastácia, ela não é uma jovem virgem que se apaixona por um caro rico que pode lhe prorcionar tudo. Ela é simplesmente uma garota comum, como nós, que conhece alguém que faz seu corpo tremer. Ela não está interessada no dinheiro, pois a todo instante ela se sente constrangida pelos presente. Ela simplesmente se apaixonou. E ela sofre por saber que a relação “não tem futuro”, que não sairá dali nada de bom, mas insiste porque ama e quer pelo menos tentar. Quem de nós nunca passou por isso? quantas de nós já sabia desde o princípio que uma relação não iria ser boa mas por teimosia optou-se por continuar? e a todo instante, por estarmos “cega” de amor, nos deixamos maltratar, humilhar, torturar, ser violentada, estuprada, no sentido de termos que passar por situações não desejadas só para querer agradar o parceiro. O que seria mais humilhante? ser amordaçada porque assinei um contrato sexual e deixar ser chicoteada ou ser traído por seu marido na sua própria casa com sua melhor amiga? ou o que é mais humilhante, seu amor dizer que te ama e depois dizer para os amigos que só está com vc pq vc é boa de cama? e assim sucessivamente. Certamente, já nos envolvemos com canalhas, já nos iludimos com frases do tipo: Ele não quer assumir um relacionamento sério comigo porque ele já foi traído no passado. Mera desculpa. Igual a do livro. A Anástácia tenta justificar as ações do lindo por tudo que ele passou no passado…pensem nisso!

  11. Nao li essas obras, e nao porque nao goste de ler, leio ate bula de remedio, comprei o primeiro livro do Harry Potter para o meu filho adolescente, com o ideia de que o estimularia na leitura, no final quem leu foi eu mesma, em uma unica madrugada, acabei gostando pois embora seja uma literatura juvenil, a escritora escreve de forma rebuscada.
    Essa literatura da escritora EL James nao me parece uma literatura juvenil, ela foi escrita para adultos, e comecei a ficar intrigada com a seguinte situacao: por que, em pleno sec XXI, ainda mulheres submissas, maternais, machistas e masoquistas, e homens controladores, trogloditas e torturadores fazem tanto sucesso. Pasmem, estou ouvindo suspiros de mulheres profissionais altamente qualificadas… “Eu amo Christian Grey”.
    Ja me mandaram ler antes de criticar, mas para quem ja leu desde Platao, Kant, Camus, Machado de Assis etc, ler isso e uma afronta a minha inteligencia e ao meu curto tempo, nem em minhas viagens de aviao, tempo que dispenco para ler literaturas nao tecnicas, prefiro Isabel Alende e Gabriel Garcia Marques em “Las Putas de mi vida”, sensacional!!

  12. Raissa acabei de ler os 3 livros em minha opinião se trata de um romance bem meloso, pode não ser um belo romance, mas acabou mexendo com algumas mulheres, não que elas desejem ser submissas e não querendo apanhar, mas querendo um homem que mande rosas e que seja avassalador na cama, na verdade acho que muitas das pessoas (mulheres) que leram o livro e gostaram podem estar procurando um amor que tire ela dos trilhos, mexe muito com a imaginação. Os romances reais andam bem mais fraquinhos que isso.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *